Polícia vai utilizar sistema on-line para identificar celulares e outros objetos roubados

Tecnologia vai possibilitar identificação e devolução dos aparelhos celulares, bicicletas, entre outros objetos apreendidos a seus verdadeiros donos.

Policiais militares e civis paraibanos contam a partir de agora, com uma nova tecnologia contra o roubo de celulares, relógios, bicicletas, quadriciclos, ciclomotores, motos aquáticas, máquinas agrícolas e motores. A Secretaria de Estado da Segurança e Defesa Social da Paraíba (SESDS-PB) assinou, em 19 de maio, um Termo de Cooperação Técnica com o Me Pertence - Cadastro Nacional de Bens, responsável pela criação e manutenção de um sistema de consultas on-line de bens móveis que não possuem cadastro oficial nacional. Órgãos de segurança de outros estados brasileiros também devem, em breve, começar a utilizar o sistema, que cruza dados de fabricantes, distribuidores, lojistas, proprietários de bens móveis e forças de segurança de todo o país.

O Termo foi assinado na sede da SESDS-PB pelo Secretário de Estado da Segurança e da Defesa Social, Cláudio Coelho Lima, e pelo diretor-presidente do Me Pertence, Renato de Mendonça Ramalho, com a presença do investigador criminal da Polícia Civil da Paraíba Milton Ramalho, responsável pela criação e desenvolvimento do sistema.

A SESDS-PB vai orientar os policiais paraibanos a consultar o banco de dados do sistema Me Pertence sobre todos os bens apreendidos ou verificados durante abordagens policiais sempre que houver dúvida sobre a procedência lícita de celulares, relógios, bicicletas, quadriciclos, ciclomotores, motos offroad e máquinas agrícolas.

Os policiais civis e militares paraibanos poderão consultar, em poucos segundos, através do sistema de radiocomunicação do Centro Integrado de Operações Policiais (Ciop), a situação de determinado objeto no sistema Me Pertence e, posteriormente, fazer o registro on-line dos dados do bem localizado e apreendido.

O cruzamento de dados das forças de segurança e do Me Pertence, vai possibilitar que bens cadastrados no sistema sejam localizados e apreendidos em operações policiais em qualquer lugar do país e os mesmos que já possuírem uma restrição de roubo, furto ou perda cadastrada no sistema possam ser devolvidos a seus legítimos donos. O usuário será informado automaticamente pelo sistema, através do email indicado no cadastro, sobre o local e data da apreensão e poderá reaver o objeto pelas vias legais. 

“Diariamente, centenas de celulares, bicicletas, ciclomotores, entre outros, são apreendidos pelas forças de segurança em todo o país, mas, infelizmente, quase 100% deles vão parar nos arquivos das delegacias e em depósitos judiciais e nunca serão devolvidos a seus donos”, afirmou Milton Ramalho.

 

Combate ao crime

De forma simples e segura, é possível cadastrar no Me Pertence objetos de diversas categorias e, em caso de furto, roubo ou extravio, ter a chance de localizá-los através do cruzamento de bancos de dados de usuários e de forças de segurança de todo o país.

O Me Pertence dificulta o comércio ilegal de objetos furtados e roubados e oferece ao consumidor um meio de evitar a aquisição inadvertida de produtos de procedência ilícita, que possuam restrição de furto, roubo ou extravio em seus cadastros no sistema.

A possibilidade de rastreamento de objetos contribui com a segurança na comercialização de bens móveis porque oferece aos consumidores um histórico da procedência dos objetos.

O sistema, disponível no endereço eletrônico www.mepertence.com, permite ainda a identificação de locais com maior incidência de crimes como furtos e roubos, servindo ao planejamento estratégico das forças de segurança pública e contribuindo para a redução da criminalidade e para uma maior aproximação entre polícia e comunidade.

Mais Notícias